Você se inscreveu com sucesso em Blog | Zerezes
Ótimo! Em seguida, finalize a compra para ter acesso completo a Blog | Zerezes
Bem vindo de volta! Você fez login com sucesso.
Sucesso! Sua conta está totalmente ativada, agora você tem acesso a todo o conteúdo.
Sucesso! Suas informações de cobrança são atualizadas.
Falha na atualização das informações de faturamento.
Lixo é um erro de design

Lixo é um erro de design

. 2 minutos de leitura

Para o Bruno, lixo na verdade é um grande erro de projeto. "Alguém que projetou as coisas que a gente consome em algum momento deixou de levar em conta o que íamos fazer com isso."

O Bruno é designer de produto de formação, engenheiro ambiental, mestre em engenharia de materiais e consultor de tudo que envolve os 3 assuntos. A gente se conheceu lá no nosso iniciozinho, e sempre que o assunto foi desenvolvimento de materiais - desde os nossos óculos de madeira até os mais recentes óculos de Canudos - o Bruno esteve presente.

Ao longo das próximas duas semanas ele vai compartilhar com a gente sua visão sobre gestão de resíduos numa perspectiva bastante esclarecedora, para que possamos não só gerar reflexões sobre o assunto, mas também começar a colocar a "mão na massa"!

e se começássemos a tratar nosso "lixo" como um simples resíduo que não foi consumido?

Os resíduos hoje são um dos problemas mais sérios do mundo dos pontos de vista sanitário e ambiental. Obviamente a culpa não é só de quem projeta, mas nós, criadores, temos uma enorme responsabilidade nisso. As empresas por exemplo, têm o dever de cada vez mais extrair recursos de maneira responsável e produzir produtos e materiais que sejam de fato reciclados e recicláveis.

Do ponto de vista de quem consome, temos não só o papel de consumir de forma mais consciente como também o de separar esses materiais - que vão ser coletados por outras empresas como a comlurb aqui no Rio - e depois encaminhadas para cooperativas e cooperativados, os verdadeiros responsáveis pela nossa separação de resíduos.

Só que a gente está tão distante de todo esse processo que muitas vezes não nos sentimos parte dele. Ou as vezes, simplesmente não paramos pra pensar sobre as dinâmicas dos resíduos de uma forma mais ampla. No caso das latinhas por exemplo, boa parte das pessoas que consomem latas de alumínio na rua - nós cariocas temos muito esse hábito - não tem a percepção de que o alumínio seja um problema ambiental, porque no final das contas tem sempre alguém coletando elas.

"Isso não significa que a lata de alumínio seja muito melhor para se reciclar do que o papel, ou do que o vidro. Significa que no mercado, hoje, ela tem um valor que faz com que as pessoas corram atrás desse garimpo.", explica Bruno.

Então quando você pensa: "ah, eu não vou separar na minha casa, porque o caminhão vem e mistura tudo!", o Bruno responde "O caminhão pode até misturar. Mas vai ter alguém, que vai meter a mão no seu resíduo pra separar e tirar dali o seu sustento. Quando eu falo pra gente pensar muito bem na questão dos resíduos, não é só uma questão ambiental, é uma questão social também."

Não é só uma questão ambiental. É uma questão social também.