Você se inscreveu com sucesso em Blog | Zerezes
Ótimo! Em seguida, finalize a compra para ter acesso completo a Blog | Zerezes
Bem vindo de volta! Você fez login com sucesso.
Sucesso! Sua conta está totalmente ativada, agora você tem acesso a todo o conteúdo.
Sucesso! Suas informações de cobrança são atualizadas.
Falha na atualização das informações de faturamento.
Fran e Marilú

Fran e Marilú

. 1 minuto de leitura

Francisco e Maria Lúcia são pais de dois e avós de cinco, e vem construindo uma história juntos desde 1958. Ele capixaba e ela campista, se encontraram no Rio, na década de 50, em uma antessala, por acaso. Foi aquilo de amor à primeira vista e não demorou muito pra ele ir procurar por ela no pensionato onde ela morava no Humaitá.

Depois de se conhecerem, passaram por todos os passos: namoraram, com direito à pedido oficial em Campos, noivaram – que segundo Fran é uma espécie de vestibular – e depois se casaram. No escritório, com um computador de cada um, uma mesa um pouco bagunçada (“bagunça é uma virtude em nós dois”) e uma estante lotada de livros, demonstraram seu amor pela literatura. Marilú, inclusive, além de já ter livros publicados, está na segunda revisão de seu último livro de crônicas, que escreveu em conjunto com mais 11 mulheres com mais de 80 anos.

A paixão pela leitura diz muito dos dois, afinal, estamos falando de dois professores. Para Fran, as palavras têm alma e possuem conteúdo para orientar nossa vida. Todo dia ele envia para a família e amigos alguma palavra. No dia da nossa visita a enviada foi “generosidade”. No anterior, “gratidão”.

Perguntamos para o casal qual era o segredo para manter, mesmo depois de tanto tempo, o mesmo brilho nos olhos. Uma das coisas levantadas foi o desafio de nunca dormir com o problema. No amor e na vida. Francisco ainda acrescentou: “Tudo passa, o que fica são princípios e valores. O que ela acredita. O que eu acredito. O que segura é isso.”

Quando já estávamos prestes a sair Marilú me disse que Fran sempre lhe dá bilhetinhos de amor, que escreve onde for, até em pedaços de guardanapo. Eternos namorados <3

Nos despedimos com picolés em mãos, típico de casa de vó.

Fotografia . Vitor “Bossa” Vieira

Texto . Vivianne Oliveira